O tal sujeito

A beleza de um homem
Está em seus trejeitos mais pequenos.
Poderia listá-los
Mas seria impossível captar
O que sinto ao vê-los.
É uma água na boca
Com um tremor nas pernas
Que me cobraria o coração
Força demasiada.
Mas o belo está na força
E na simplicidade
De um homem rude
Com sorriso de flor.
Na calma do olho que avista
Mas não busca
Ciente da caminhada forçada.
Tantos trejeitos e cantos
Tantos olhares e espantos
Que me custa deixar de admirá-lo.
Por isso, faço um esforço
E sinto-o inteiro em mim
Como uma tsunami que invade
E leva todos os pertences.
O homem e seus trejeitos
Tantos que não basta existir;
Ele morre em mim
Debaixo de um dia simples
E nada mais resta
Do meu coração partido.

2 comentários:

  1. AMO AMO tudo o que vc escreve <3

    ResponderExcluir
  2. '''''Ele morre em mim
    Debaixo de um dia simples
    E nada mais resta
    Do meu coração partido.''''''

    Que lindo, foi pra minha agenda o poema inteiro!

    <3

    ResponderExcluir