Morte anunciada

E eu
Eu queria morrer
Um pouquinho de cada vez
Pra não morrer inteiro
Morrer tudo.
Tenho a ideia
De que a morte
É como pular de um penhasco
E a sensação
(Que tenho sempre em sonhos)
Me aflige.
Por isso
Gostaria de poder morrer aos poucos
Com parcimônia
Para que não doesse tanto
E quem me ama não sofresse.
Que a morte
Já anunciada
Quando acontecesse
Não seria repentina, tampouco sofrida.
Pensariam que já era hora
Que enfim foi.
Aos poucos
Peço que seja aos poucos
E que não me percebam.
Obrigado.

Um comentário:

  1. Parabéns pelo teu blog!

    Vem conhecer o meu:
    feitaparailetrados.blogspot.com

    ResponderExcluir