Soube de mim?
Eu fiquei louco.
Deram-me como louco
e agora vivo encarcerado.
Faço algo de útil.
Organizo livros e 
escrevo cartas.
Eu sou dono da vida dos outros.
Conto histórias,
escrevo o que me dizem,
mas mais bonito.
Eu tenho medo daqui,
eu tenho medo de tudo.
Em uma carta, ontem,
disseram se amar.
Tenho medo do amor.
Para salvá-los
disse que se odiavam.

2 comentários: